Logo
Demo

Quer perder gordura? Esqueça os exercícios aeróbicos!

Quer perder gordura? Esqueça os exercícios aeróbicos!

Durante muito tempo o exercício aeróbico foi associado ao aumento e manutenção da aptidão física, provavelmente em razão do grande impacto dos estudos do professor Cooper há 30-40 anos atrás. Com o aumento da incidência de sobrepeso e da obesidade no mundo, a primeira atitude foi tentar associar esse modelo de exercício ao tratamento da doença, defendendo a ideia de que caminhar, trotar e correr de forma constante poderiam contribuir para o controle do acumulo de gordura corporal. Mas não podem.

E isso fica claro quando começamos a entender a relação que temos com a gordura Sua função básica da servir como fonte de reserva. E seu organismo não vai querer perde-la de forma alguma. Sendo assim, para que você convença que o estoque que existe não é mais necessário, os argumentos devem ser bons. Coisa que não acontece nos exercícios aeróbicos.

Acredito que algumas ideias equivocadas se baseiem também no erro de interpretação de alguns estudos. Sabe-se que com o transcorrer da atividade, principalmente as de intensidade moderada e realizadas por períodos maiores de 20-30min a gordura passa a contribuir de forma significativa como combustível para a manutenção do esforço. Além disso, se os estoques iniciais de glicogênio muscular forem baixos (como que ocorre após períodos de jejum prolongado), maior será a contribuição de tais reservas. Desse modo, numa abordagem simplista do conceito, o ideal é fazer atividades prolongadas e moderadas, preferencialmente com estoques baixos de carboidratos. Nasce o aeróbico em jejum. ERRADO!

O que as pessoas não percebem é que esse modelo de abordagem do exercício só irá influenciar a redução de gordura corporal DURANTE a atividade. E esse consumo aumentado é irrisório se multiplicado pelo tempo de duração do exercício. Segundo alguns estudos, o consumo médio de gordura durante o repouso é de algo ao redor de 0,43g/min. Na melhor das hipótese durante o exercício de intensidade moderada será de 0,60g/min. Apesar de um aumento de 39% parecer ótimo... continua sendo apenas 0,60g/min. Em 30min de atividades isso se reflete num gasto de irrisórias 18g de gordura!

Além disso o efeito pós exercício é mínimo, pois atividades moderadas exigem poucas adaptações endócrinas para que o exercício seja realizado, e o tempo de retorno ao metabolismo de repouso após o encerramento do esforço é muito rápido. Você volta quase imediatamente à sua condição de repouso.

Os exercícios de alta intensidade ao contrário, produzem grandes secreções de hormônios lipolíticos (GH, cortisol, catecolaminas) que agem por horas, mesmo após a atividade ter sido encerrada. Ainda que o gasto de gordura seja mínimo DURANTE o exercício (pra não dizer zero). Desse modo, mesmo que o aumento do metabolismo de gordura (no repouso) não seja tão grande quanto o aumento que temos no exercício moderado e contínuo, o fato desse aumento perdurar por várias horas (podendo ser maior que 24h) garante que o gasto total seja mais significativo.

E isso é comprovado por dezenas de estudos que não identificaram emagrecimento em indivíduos sujeitos a protocolos de exercícios contínuos e moderados, mas sim em pessoas vinculadas a programas que utilizavam maiores intensidades.

E mais: um exercício intenso vai ocupar uns 10% do tempo gasto com o aeróbico convencional...

Abraço a todos.

 

Siga-me nas redes sociais.  Cadastre-se aqui no blog e receba as atualizações.

Canal do Youtube: Professor Ricardo Martins de Souza

Facebook: facebook.com/exercícioresistido

Instagram: @dr.ricardo.souza

WebSite: ricardosouza.pro.br

Quer mais informações sobre cursos de capacitação técnica e profissional para você e os professores de sua academia? Procura uma assessoria on-line e presencial para a montagem de seus treinamentos? Entre em contato!

e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

blog comments powered by Disqus

Artigos Relacionados

Referências: